19 de fev de 2011

Posted by KARINE MENDANHA DE ARAÚJO Posted on 13:56 | 2 comments

Alimentação fora de casa


A preferência atual dos consumidores são por refeições mais convenientes, no que se refere à facilidade de aquisição, preparo ou o consumo fora do domicílio. Com isso, a alimentação fora de casa está em alta. A escolha acontece principalmente pela falta de tempo, e por acharem mais prático e viável, financeiramente.
Contudo, essa preferência da população pode ser considerada como um dos fatores que mais contribuíram para o aumento das incidências de doenças veiculadas à alimentação. Além disso, as refeições realizadas fora do lar repercurtem diretamente na situação nutricional da população, pois nem sempre elas são balanceadas, do ponto de vista nutricional.

Geralmente, os alimentos são muito calóricos e possuem grande quantidade de conservantes, podendo causar muitas doenças, em destaque a obesidade e as comorbidades associadas. Os estabelecimentos fornecem uma porção maior de comidas, favorecendo também uma ingestão excessva de calorias.
Mas, como toda regra tem sua exceção, alguns locais oferecem comidas saúdaveis do ponto de vista nutricional, sensorial e higiênico-sanitáro.
Por isso, se for necessário comer fora, procure bons estabelecimentos, que, além de satisfazer seu paladar, proporcionem uma boa saúde e nutrição. Saibam comer fora!
Eu, por exemplo, notei uma grande diferença quando a minha alimentação era feita em casa, eu tinha hábitos mais saudáveis. Quando passei a comer fora, principalmente em restarantes self-service e fast-foods, engordei muito. Eu não sou o maior exemplo, pois sempre preferi me alimentar em locais que fornecessem comidas muito calóricas, nunca soube escolher o lugar certo. Agora, sendo uma acadêmica de nutrição, sei a importância de se ter bons hábitos alimentares, sendo fora de casa ou não.

12 de fev de 2011

Posted by KARINE MENDANHA DE ARAÚJO Posted on 12:24 | No comments

Bon Appetite! - Sopa de cevada e iogurte





Nos últimos dias, o calor intenso tem castigado praticamente todo o país. Essa situação, além do incontestável incomodo, pode causar danos a saúde, variados desde a indisposição a desidratação. Sem contar, que a é muito mais fácil se entupir de sorvete, cremes, e tortas. Por isso, pra espantar o clima quente, sem se afogar num balde sorvete - se não engordasse tanto, juro que sugeriria isso a vocês - aqui vai um dica saborosíssima de uma Sopa fria! A ideia, admito, é exótica, já que estamos acostumados a saborear o prato de maneira quente. No entanto, essa opção fornece a leveza e facilidade comuns à sopa, com a refrescância necessária pra te afastar daquele balde de sorvete...
Bon Appetite!





Ingredientes:
1 xícara (chá) de cebola picada fininha
sal a gosto
3 xícaras (chá) de caldo de galinha
1/3 de xícara de cevadinha (cevada moída no pilão para sopa)
2 colheres (sopa) de manteiga
3 xícaras (chá) de iogurte
2 colheres (sopa) de hortelã fresca picada fina e um tanto picada para decorar



 Modo de Preparo:
Aqueça a manteiga em uma panela e refogue a cebola até murchar. Adicione a cevada. Junte o caldo de galinha e deixe ferver. Quando levantar fervura, tampe e cozinhe durante 1 hora, ou até a cevada ficar macia. Deixe esfriar e leve à geladeira. Quando a sopa estiver bem gelada, misture o iogurte e as 2 colheres de hortelã. Salgue a gosto e leve novamente à geladeira. Sirva polvilhada com hortelã. 



 Categoria:Sopas
 Temperatura:Gelado
 Dificuldade:Fácil
 Tempo de preparo:1h30
 Rendimento:6 porções
Posted by KARINE MENDANHA DE ARAÚJO Posted on 12:15 | No comments

Alimentação errada prejudica o QI de crianças, diz estudo




Crianças que estão acostumadas a comer muitos salgadinhos, batatas fritas, biscoitos e pizzas antes dos três anos de idade podem desenvolver um baixo QI para o resto da vida, segundo pesquisa publicada no site inglês Daily Mail. De acordo dom o estudo, realizado pela Universidade de Bristol, a diferença no QI das crianças que se alimentam de maneira inadequada pode chegar a cinco pontos em relação às crianças que receberam uma alimentação mais saudável com frutas, legumes e comida caseira.

Especialistas alertam que, mesmo que a dieta seja corrigida, o resultado não se altera, pois o período crucial está mesmo no início da infância. Estes dados são alarmantes, pois é o primeiro estudo a sugerir uma ligação direta entre a dieta das crianças aos recursos intelectuais na vida adulta.

O projeto da pesquisa levou em conta fatores como classe social, aleitamento materno, escolaridade e idade materna. Os pesquisadores também permitiram a influência do ambiente doméstico, como o acesso da criança a brinquedos e livros. Analisando todos estes dados, os pesquisadores chegaram à conclusão de que a alimentação é crucial nos primeiros três anos de vida, quando o cérebro cresce em ritmo mais rápido.

O fato é que crianças que consomem alimentos ricos em gorduras e açúcar deixam de consumir vitaminas e nutrientes fundamentais para o desenvolvimento completo do cérebro. Para chegar ao resultado, os pais preencheram questionários sobre os alimentos e bebidas consumidos por seus filhos com idades de três, quatro, sete e oito anos.

Três padrões alimentares foram identificados: uma dieta rica em gorduras e açúcar, uma dieta tradicional de carne e legumes e uma dieta saudável, rica em frutas, salada e legumes. O estudo foi realizado com 4 mil crianças e utilizou um sistema de pontuação para marcar cada tipo de dieta. Para cada aumento de ponto em alimentos saturados, com alto teor de gordura ou açúcar, houve uma queda de 1,67 ponto nos pontos de QI. Já para as crianças que optaram por dietas mais saudáveis, a cada aumento de ponto a favor da dieta, o aumento de QI foi de 1,2 pontos.

Os pesquisadores Pauline Emmett e Kate Northstone disseram que o efeito de uma dieta pobre no desenvolvimento do cérebro poderia durar para sempre e alertam sobre a importância da alimentação no desenvolvimento da criança. No estudo publicado no Jornal de Epidemiologia e Saúde Comunitária, o QI das crianças foi medido quando chegaram aos oito anos de idade.

Estes resultados não querem dizer que você nunca poderá dar ao seu filho alimentos industrializados, refrigerantes ou pizzas, mas que estes tipos de alimentos devem ser consumidos com moderação.

Fonte: Terra

6 de fev de 2011

Posted by KARINE MENDANHA DE ARAÚJO Posted on 12:11 | 1 comment

Bon Appetite - Fettuccini ao creme de limão





Quem mora sozinho sabe a dificuldade de cozinhar para si mesmo. Eu tinha um amigo que, no seu primeiro ano fora de casa, comia apenas verdura e arroz branco! A falta de tempo é apenas um dos inúmeros subterfúgios para justificar o grande inimigo de quem vive nessa situação: a indisposição. 


Afinal, é tão mais fácil fazer um hamburger, ou miojo, não é mesmo?


Mas a comodidade que as comidas instantâneas oferecem, praticamente ignoram o prazer de alimentar.
Pensando nisso, Gulosinha oferece pra você uma  sessão com receitas fáceis, saudáveis e, principalmente,  gostosas. 
Pra cozinha já, pessoal.
Bon Appetite!


Ingredientes:
500 g de fettuccine ou outra massa
2 xícaras de creme de leite fresco
1 cebola pequena bem picada
1/4 de xícara de vinho branco seco
3 colheres de sopa de manteiga
1 colher de chá de raspas de casca de limão
4 colheres de sopa de suco de limão
1/4 de xícara de queijo parmesão ralado
sal e pimenta do reino
camarões (opcional)





 Modo de Preparo:
Coloque bastante água para ferver e salgue levemente. Prepare o molho colocando em uma panela a manteiga e a cebola picada, leve ao fogo e refogue até que a cebola esteja bem macia, acrescente metade das raspas da casca de limão e os camarões (se estiver utilizando). Refogue mais um minuto e regue com o vinho branco, deixe evaporar e acrescente o creme de leite e o parmesão. Ferva em fogo baixo por um ou dois minutos. Acrescente o suco de limão, misture e prove o ponto de acidez, se necessário adicione mais um pouco de suco de limão. Acerte o ponto de sal e pimenta do reino e reserve. Coloque a massa para cozinhar na água fervente até que esteja "al dente", escorra e acrescente ao molho, leve ao fogo por um minuto e sirva salpicando com as raspas de limão reservadas. 



 Categoria:Grãos e Massas
 Temperatura:Quente
 Dificuldade:Fácil




Fonte: Terra Culinária
Posted by KARINE MENDANHA DE ARAÚJO Posted on 12:06 | No comments

Ministério da Saúde quer promover à alimentação saudável

O Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou que, até abril deste ano, será lançada uma campanha em favor de uma alimentação saudável. A ideia, conjunta com a indústria alimentícia brasileira, é promover os benefícios de hábitos alimentares balanceados, convocando toda à população.
Alexandre Padilha, Ministro da Saúde.


“Estou conversando com toda a indústria de alimentação, varejo, supermercados e indústria de bebidas para que, em abril, a gente lance uma campanha nacional de promoção da alimentação saudável”, afirmou Padilha.

A noticia foi dada durante sua participação no encontro preparativo à Conferência de Cúpula das Nações Unidas sobre Câncer e outras Doenças Não Transmissíveis, no Instituto Nacional do Câncer (Inca).

O Ministro alertou sobre a importância de estabelecer metas de redução dos níveis de sódio, açúcar e calorias nos alimentos.

“Queremos, cada vez mais, promover os hábitos saudáveis.” finalizou.

4 de fev de 2011

Posted by KARINE MENDANHA DE ARAÚJO Posted on 11:51 | 1 comment

Compulsão Alimentar




Comer, uma vez ou outra, uma barra de chocolate inteira não é tão grave, mas quando isso acontece de forma incontrolável e constante, sem sentir fome, pode ser  sinal de compulsão alimentar.


A compulsão alimentar é um transtorno comum onde a pessoa consome grande quantidade de comida de uma só vez, mesmo na ausência da fome. Outros sinais do transtorno a serem citados são: comer até se sentir desconfortavelmente cheio; comer sem pensar nas consequências e de maneira rápida; 
esconder hábitos alimentares por vergonha; 
comer quando está sob pressão ou nervoso; 
expressar descontentamento com a aparência e ás vezes come sem vontade.

Esse transtorno não pode ser definido como gula. Nessa situação, a quantidade consumida, consciensiosamente sobre os possíveis danos.

A maioria das pessoas têm compulsão por alimentos calóricos, mas, por incrível que pareça, algumas apresentam o sintoma por alimentos saudáveis, como as frutas.
  • Karine Mendanha

    Biografia